Temer na prisão! Basta de ataques aos direitos e à aposentadoria
Reprodução/TV Globo

Temer na prisão! Basta de ataques aos direitos e à aposentadoria

Mais do que nunca cabe ao povo se mobilizar e exigir que todas as medidas ilegítimas aprovadas na época em que o Temer foi presidente sejam revogadas.

Vários Autores 21 mar 2019, 16:40

Na manhã de hoje (21), Michel Temer e um de seus homens de confiança, Moreira Franco, foram presos. Os esquemas corruptos do ex-presidente, principalmente em torno do porto de Santos, são há muito tempo comentados no mundo político e agora, finalmente, comprovados.

Temer, que chegou ao poder de forma ilegítima, foi um dos piores presidentes de nossa história. Mentindo para o povo, aprovou medidas nefastas como a “PEC do teto” e a reforma trabalhista, e formulou o projeto de reforma da previdência que quer destruir a aposentadoria dos trabalhadores, projeto agora abraçado por Bolsonaro. Tudo isso foi feito, como sempre soubemos, com muita corrupção para manter a base parlamentar do presidente e os privilégios de sua equipe. Por tudo isso sua prisão está sendo comemorada pela maioria dos trabalhadores e trabalhadoras e pela juventude, que em 2017 foram parte ativa nas ruas pelo Fora Temer!

Nosso dever, agora, é de denunciar que o governo Bolsonaro quer levar adiante exatamente as mesmas medidas que o corrupto Michel Temer planejava. Especialmente a Reforma da Previdência, com objetivo de destruir a aposentadoria dos pobres e encher os cofres dos banqueiros e milionários. Enquanto isso, também suspeitas de corrupção, como o “laranjal” do PSL e de Flávio Bolsonaro, vão aparecendo no quintal do Presidente. Todas essas denúncias devem ser investigadas e apuradas.

Mais do que nunca cabe ao povo se mobilizar e exigir que todas as medidas ilegítimas aprovadas na época em que o Temer foi presidente sejam revogadas.

  • Sâmia Bomfim – Deputada Federal PSOL SP
  • Fernanda Melchionna – Deputada Federal PSOL RS
  • David Miranda – Deputado Federal PSOL RJ
  • Luciana Genro – Deputada Estadual PSOL RS
  • Babá – Vereador PSOL RJ
  • Mariana Riscali – Tesoureira Nacional PSOL
  • Israel Dutra – Secretario Relações Internacionais PSOL
  • Leandro Recife – Executiva Nacional PSOL
  • Márcio Silva – Executiva Nacional PSOL
  • Rosi Messias – Executiva Nacional PSOL
  • Sandro Pimentel – Deputado Estadual PSOL RN
  • Mônica Seixas – Co Deputada Estadual PSOL SP
  • Roberto Robaina – Vereador PSOL RS
  • Carlos Giannazi – Deputado Estadual PSOL SP
  • Pedro Ruas – ex Deputado Estadual PSOL RS
  • Raul Marcelo – ex Deputado Estadual PSOL SP
  • Mariana Conti – Vereadora PSOL Campinas
  • Fernanda Garcia – Vereadora PSOL Sorocaba
  • Celso Giannazi – Vereador PSOL São Paulo
  • Fernanda Miranda – Vereadora PSOL Pelotas
  • Alex Fraga – Vereador PSOL Porto Alegre
  • Michel Lima – Diretório Nacional PSOL
  • Douglas Diniz – Diretório Nacional do PSOL
  • Silvia Letícia – Executiva Estadual do PSOL Pará
  • Cássia Evangelista – Executiva municipal do PSOL Belém – Pará
  • Nancy Galvão – Executiva Estadual do PSOL São Paulo
  • Manuel Iraola – Executiva municipal do PSOL São Paulo
  • Ângelo Balbino – Executiva do PSOL Distrito Federal
  • Liliana Maiques – Feminista e tesoureira do PSOL Carioca
  • Duda Salabert, candidata ao senado pelo PSOL/MG em 2018

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.