Queremos revogar os cortes na educação

Queremos revogar os cortes na educação

Deputada federal Fernanda Melchionna apresenta PEC para impedir cortes como os que ameaçam a produção científica.

Equipe Sâmia Bomfim 15 maio 2019, 13:36

A deputada Sâmia Bomfim não está medindo esforços para lutar contra os cortes na educação. Ela é coautora – junto com David Miranda e o Coletivo Juntos – de um projeto da deputada Fernanda Melchionna para proibir alterações no orçamento na área da Educação.

A ideia é protocolar uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que inclua o parágrafo 19 no artigo 166 da Constituição Federal e torne obrigatória a execução da programação orçamentária do ano para a área. A iniciativa já tem o apoio de 115 parlamentares. São necessárias 171 assinaturas para a proposta seguir adiante na Câmara dos Deputados.

Além disso, Sâmia lançou um abaixo-assinado para que todos os cidadãos brasileiros demonstrem que não concordam com os cortes na Pasta. Para ter uma ideia do absurdo, as universidades federais já estão com as verbas bloqueadas e a CAPES anunciou o fim das bolsas de pesquisa de várias modalidades.

Só que, desta vez, Bolsonaro e sua trupe vão se dar mal. O levante dos livros já começou e as manifestações a favor das universidades e dos institutos federais estão tomando o país.

É urgente barrar esse retrocesso! Vamos às ruas no dia 15 de maio no grande dia de mobilização em defesa da educação.

Artigo originalmente publicado no site de Sâmia Bomfim.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Publicamos a décima sétima edição da Revista Movimento ainda sob o impacto da pandemia da Covid-19. Em todo o mundo, as contradições acumulam-se. Este volume está dedicado à análise de várias dimensões desta verdadeira crise global e de seus desdobramentos. Com destaque, tratamos da mobilização antirracista nos Estados Unidos e no mundo, iniciada após o assassinato de George Floyd, e da situação brasileira, discutindo a crise do governo Bolsonaro e as recentes manifestações dos trabalhadores por aplicativos.