Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Sobre a luta dos professores do Paraná

Continuemos firmes e fortes na luta, pois teremos que nos levantar muitas vezes ainda em defesa de nossos direitos e da educação pública.

FB_IMG_1563132798962
FB_IMG_1563132798962

Bom dia a quem é de luta!

Ontem não tive como escrever sobre o fim da greve, pois para não ficar tanto tempo longe da Lavínia, depois de 2 idas à Curitiba em 2 semanas, entre elas a ocupação da ALEP, e de muitas atividades aqui em Foz e região, resolvi levá-la comigo para a assembleia estadual da APP. Espero que desde pequena ela compreenda a importância da luta coletiva.

Embora não tenha ficado contente com a forma com que mais um vez encerramos uma greve, sem amarrar muitos pontos importantes e tbm pelo desrespeito com que fomos tratados pelo governador durante todo o processo, não podemos deixar de considerar alguns avanços: a retirada do PLC 04/2019, o pagamento do mínimo regional e reajuste do auxílio transporte e alimentação para os Agentes Educacionais I, que lutaram bravamente nessa greve, e a manutenção da eleição de diretores de escola como é atualmente. Parece pouco pelo tamanho de nossa luta, principalmente porque não conseguimos a data-base para esse ano, nem derrubar a prova para o PSS. Entretanto, se não fosse a greve não teríamos conseguido nem esse mínimo. Outro ganho importante dessa greve é a capacidade de organização e luta de nossa categoria. Quem diria que diante dessa conjuntura nacional e estadual tão avessa aos trabalhadores, depois de todos os ataques que sofremos do governo Beto Richa nos levantariamos tão bravamente em uma greve no primeiro semestre do governo Ratinho?

Saímos sim vitoriosos dessa greve, demos nosso recado ao governo Ratinho e ao Secretário de Educação Renato Feder.

Continuemos firmes e fortes na luta, pois teremos de se levantar muitas vezes ainda em defesa de nossos direitos e da educação pública.

Por fim quero parabenizar os educadores e educadoras de Foz do Iguaçu e região que deram exemplo de resistência nessa greve. Mantemos o acampamento da greve na Praça da Paz, visitamos escolas, fizemos atos regionais, fomos às Câmaras de vereadores, fomos a Curitiba 3 vezes, ocupamos a ALEP e tínhamos disposição para permanecer na greve. Tenho muito orgulho de cada companheiro e companheira que esteve lado a lado nessa luta.

Seguimos firmes e fortes!

Só a luta muda a vida!

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Ilustração da capa da Revista Movimento

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista