Revista Movimento Movimento Movimento: crítica, teoria e ação

Contra a privatização do Serpro e da Dataprev

O governo de Bolsonaro quer vender o maior serviço de processamento de dados da América Latina, e a empresa de tecnologia e informações da Previdência Social.

Reprodução
Reprodução

A soberania tecnológica do Brasil está ameaçada. O governo de Bolsonaro quer vender o Serpro, o maior serviço de processamento de dados da América Latina, e a Dataprev, a empresa de tecnologia e informações da Previdência Social, responsáveis pela informatização de serviços como emissão de CPF, passaportes, Imposto de Renda e pagamento do benefício das aposentadorias, entre outros serviços.

Já vimos os golpes e fraudes que acontecem quando os dados dos pensionistas do INSS, por exemplo, caem nas mãos de pessoas interessadas no dinheiro e nos dados antes mesmos dos aposentados terem a confirmação da aposentadoria. 

Além do encarecimento da tecnologia, temos que nos perguntar quais garantias seriam negociadas com as empresas privadas em troca dos dados das empresas e dos cidadãos brasileiros.

Nesta segunda (09/09), a deputada estadual Luciana Genro, a deputada federal Fernanda Melchionna e o vereador de Porto Alegre Roberto Robaina, os três do PSOL (foto ao lado), estiveram no ato do Sindppd/RS Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados do RS, presidido pela nossa companheira Vera Guasso, em defesa do Serpro e da Dataprev em Porto Alegre, dizendo não à privatização!

Não vamos recuar na luta em defesa da soberania tecnológica do Brasil!

Artigo originalmente publicado no site da deputada Luciana Genro.

Movimento - Crítica, teoria e ação

Apresentação

A décima terceira edição da Revista Movimento dedica-se ao debate sobre os desafios da esquerda socialista no Brasil diante da crise nacional que se desenrola há anos e do governo Bolsonaro. Para tanto, foram convidados dirigentes do PSOL, do MES e de outras organizações revolucionárias que atuam no partido. O dossiê sobre a estratégia da esquerda e o PSOL reflete os desafios da organização de um polo socialista no interior do partido. Há também, na seção nacional, reflexões sobre a crise econômica brasileira, as revelações de The Intercept e as lutas da juventude e da negritude. As efemérides do centenário da escola Bauhaus e do cinquentenário do levante de Stonewall também aparecem no volume, além da tese das mulheres do MES para o Encontro de Mulheres do PSOL.

Ilustração da capa da Revista Movimento

MES: Movimento Esquerda Socialista MES: Movimento Esquerda Socialista