Plenária #VaiTerSâmia reúne mais de 500 militantes do PSOL em SP
Plenária #VaiTerSâmia em São Paulo / Equipe Sâmia

Plenária #VaiTerSâmia reúne mais de 500 militantes do PSOL em SP

Sâmia está preparada para representar o PSOL e o desejo de milhões de paulistanas e paulistanos de transformar a cidade com um programa radicalmente democrático e socialista.

Revista Movimento 8 fev 2020, 20:56

Mais de 500 militantes do PSOL da cidade de São Paulo reuniram-se hoje (8) no Sindicato dos Metroviários, em São Paulo, para lançar a pré-candidatura de Sâmia Bomfim a prefeita de São Paulo em 2020 pelo PSOL. O PSOL receberá até 14/2 a inscrição de pré-candidaturas, data a partir da qual se iniciam as prévias partidárias, extenso ciclo de debates e votações até que a base do partido decida, democraticamente, o nome que a irá representar.

Estiveram no espaço figuras públicas como Toninho Vespoli, Fernanda Melchionna, Monica Seixas, Raul Marcelo, Babá, Plínio de Arruda Sampaio, Mariana Conti, Fernanda Garcia, Chirley Pancará, Erika Hilton e Andréa Werner.

Também mostraram sua força diversos movimentos sociais, de juventude e feministas, correntes políticas, além de lideranças da cidade de São Paulo, construtores de núcleos e setoriais do PSOL, bem como membros das executivas municipal, estadual e nacional do partido.

Sâmia está preparada para representar o PSOL e o desejo de milhões de paulistanas e paulistanos de transformar a cidade com um programa radicalmente democrático e socialista. Para isso, todos os reunidos e muitos outros, que não estiveram presentes, participarão nos próximos meses das plenárias congressuais do PSOL São Paulo, para garantir a oficialização da pré-candidatura de Sâmia, e depois tomarão as ruas da cidade para construir esse amplo movimento.

Acesse vaitersamia.com.br. Vai ter Sâmia!


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.