Sâmia Bomfim pede suspensão de todos os pedidos de reintegração de posse em SP
Reprodução

Sâmia Bomfim pede suspensão de todos os pedidos de reintegração de posse em SP

Deputada protocolou petição no Tribunal de Justiça de SP para suspender todos os pedidos de reintegração de posse durante a quarentena.

Equipe Sâmia Bomfim 26 mar 2020, 18:08

A deputada Sâmia Bomfim protocolou, nesta semana, uma petição no Tribunal de Justiça do Estado de SP para suspender todos os pedidos de reintegração de posse durante o prazo de quarentena em função do COVID-19 (Coronavírus).

O mundo todo está sofrendo restrições por conta do Coronavírus, e uma delas é o isolamento. Diante desse contexto, é necessário que as reintegrações de posse sejam paralisadas, afinal, se elas ocorrem mais famílias e pessoas em situação de vulnerabilidade estarão expostas ao vírus, que já infectou mais 190 mil pessoas em todo o mundo.

“Cumprir ordens de despejo nesse momento de crise é, no mínimo, desumano. Muitas organizações sociais me procuraram para ajudá-las a impedir que isso aconteça. É necessário haver um pouco mais humanidade e respeito à vida nesse momento”, explica a deputada.

Para ler a petição, acesse este link.

Artigo originalmente publicado no site da deputada.

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.