Bancada do PSOL denuncia ao Ministério Público atrasos no pagamento de residentes da saúde

Bancada do PSOL denuncia ao Ministério Público atrasos no pagamento de residentes da saúde

Profissionais que estão atuando para combater o COVID-19 estão sem receber bolsas-salário.

Equipe Sâmia Bomfim 3 maio 2020, 17:34

A deputada federal Sâmia Bomfim e a Bancada do PSOL na Câmara dos Deputados acionaram o Ministério Público Federal para pedir providências urgentes com relação ao atraso no pagamento de bolsas-salário de residentes em Saúde.

Clique aqui para ler o ofício.

Com a pandemia do Covid-19, os profissionais de saúde são fundamentais para cuidar dos pacientes afetados e, assim, minimizar os efeitos drásticos da doença. No entanto, o governo brasileiro parece não entender a importância desses profissionais. Inacreditavelmente, até agora, muitos residentes não receberam o pagamento de março, e enfrentam dificuldades financeiras, inclusive, para custear o transporte para seguir trabalhando.

Segundo a residente em Enfermagem, Natália Peccin, o problema está atingindo, principalmente, estudantes recém ingressos na residência, alguns deles oriundos de fora capital, que deveriam receber sua primeira bolsa-salário em março. Além disso, vários desses profissionais também enfrentam dificuldades para emitir seus bilhetes de transporte público em São Paulo, dado o funcionamento parcial da SPTrans. “Essas ações significam minar as condições materiais concretas para que os profissionais sigam trabalhando, em um momento em que são essenciais”, ela argumenta.

Vale ressaltar que o regime de trabalho na residência em Saúde é de 60 horas semanais, com remuneração de aproximadamente R$ 2.800,00 líquidos. Na maioria dos casos, a residência exige dedicação exclusiva, portanto a bolsa-salário consiste na única fonte de renda desses profissionais.

Segundo Luana Alves, trabalhadora do SUS e psicóloga da saúde coletiva, cortar ou atrasar o pagamento dos residentes é o mesmo que estrangular o sistema de saúde público. “É espantoso que algo tão urgente e simples de se resolver esteja demorando tanto. Os residentes que ainda não receberam devem receber já suas bolsas-salário. Além do respeito a esses profissionais, trata-se de uma medida urgente para não prejudicar o combate à pandemia”, ela afirma.

“É inadmissível esse atraso. Muitos residentes procuraram o mandato para afirmar que não têm dinheiro para ir ao hospital trabalhar. Ou seja, os pacientes afetados pelo Coronavírus correm o risco de ficar sem atendimento, porque não basta só construir hospital de campanha, é necessário ter gente especializada para cuidar das pessoas”, afirma Sâmia Bomfim.

Artigo originalmente publicado no site da deputada.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.