FNL realiza jornada de lutas!
Reprodução

FNL realiza jornada de lutas!

No dia 4 de setembro a Frente Nacional de Luta Campo e Cidade iniciou sua Jornada de Luta: Terra, Trabalho, Moradia e Liberdade.

No dia 4 de setembro a Frente Nacional de Luta Campo e Cidade – FNL, iniciou sua Jornada de Luta:  Terra, Trabalho, Moradia e Liberdade, onde realizou inúmeras ocupações de terra pelos estados onde está organizada, além de fechamentos de pistas, atos públicos e ocupação do INCRA Nacional.

A mídia brasileira em mancomunada com o capital, tenta passar para todos o brasil que não há organização de trabalhares contra o estado omisso e opressor, mais a FNL permanece firme na trincheira, denunciando o desgoverno do Miliciano Bolsonaro. Na Jornada de luta tiveram destaque os estados de Alagoas com fechamentos de pistas e dois grandes atos, um em Arapiraca, cidade do Sertão Alagoano, que depois de uma Marcha de acampamentos próximos à cidade, encerrou na porta da prefeitura e em Maceió Capital do estado, onde vários companheiros e companheiras de diversos acampamentos marcharam até a cidade e realizaram um grande ato na praça central, em defesa da Reforma Agrária, Reforma Urbana e pelo assentamento imediato das família acampadas, no estado do Matogrosso do Sul foram três rodovias fechadas, onde se exigia a retomada imediata da reforma agrária e contra o sucateamento do INCRA por parte do governos Federal. Em São Paulo as maiores ações foram na divisa de SP e MS, onde as famílias ocuparam uma área pertencente a CESP e que hoje está sobre o controle de empresa chinesa. Uma imensa área contendo inúmeros tanques para psicultura que esta completamente abandonada e na região de Sorocaba onde foram feitas várias ocupações de área urbanas pra moradia popular, sendo que em um dos acampamentos tivemos o único incidente registrado por todo brasil. O acampamento dos trabalhadores Urbanos, localizado no Bairro Capoavinha no Município de Votorantim região de Sorocaba SP, foi alvejado na noite do dia 6 de setembro por vários disparos de armas de fogo que perfuraram os barracos de lonas , os disparos foram feitos pelos irmãos e familiares do suposto dono da área ocupada Antônio Ribas Lopes.

No Distrito Federal e Entorno, toda a jornada foi concentrada na ocupação do Prédio do INCRA nacional. Cerca de 500 trabalhadoras e trabalhadores da FNL ocuparam todos os andares do prédio onde se encontra o INCRA e fecharam as entradas do prédio.

Desde que se instalou no Brasil um governo de miliciano, a FNL se mantendo na vanguarda a luta da classe trabalhadora. Em 2019 fez uma marcha com mais de 1000 trabalhadores na Esplanada do Ministério, onde protocolou na Presidência da Camarada dos Deputados em reunião com o Deputado Rodrigo Maia, a pauta reivindicatória do FNL e exigiu  o retorno da Reforma Agrária, como não houve avanço, a FNL nesta quarta feira 9 de setembro ocupou o prédio do INCRA exigindo a retomada da reforma agrária e contra o desmando do INCRA e do ministério do meio ambiente.

A FNL se manterá em luta, até que a pauta dos trabalhadores seja atendida. Esse foi só o inicio da luta. Caso o governo ínsito em desrespeitar aos trabalhadores, fazer da agricultura familiar um curral do agronegócio, a FNL estará em luta contra esse desmando desse desgoverno de milicianos e aloprados.

FNL: POR TERRA, TRABALHO, MORADIA E LIBERDADE

FORA BOLSONARO!

RFORMA AGRÁRIA JÁ!

REFORMA URBANA JÁ!

Brasília, 10 de setembro de 2020.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Publicamos a décima sétima edição da Revista Movimento ainda sob o impacto da pandemia da Covid-19. Em todo o mundo, as contradições acumulam-se. Este volume está dedicado à análise de várias dimensões desta verdadeira crise global e de seus desdobramentos. Com destaque, tratamos da mobilização antirracista nos Estados Unidos e no mundo, iniciada após o assassinato de George Floyd, e da situação brasileira, discutindo a crise do governo Bolsonaro e as recentes manifestações dos trabalhadores por aplicativos.