PSOL quer convocar Salles para que explique combate às queimadas no Pantanal

PSOL quer convocar Salles para que explique combate às queimadas no Pantanal

Bancada do partido apresentou requerimento de convocação do Ministro do Meio Ambiente à Câmara.

Equipe Sâmia Bomfim 18 set 2020, 19:07

A grave situação das queimadas no Pantanal fez com que o PSOL apresentasse um requerimento de convocação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. A bancada quer que Salles explique, em sessão virtual, as ações de proteção, fiscalização e combate aos incêndios na região pantaneira.

Dados do Laboratório de Aplicações de Satélites Ambientais da Universidade do Rio de Janeiro apontam que o fogo já atingiu cerca de 14,6% da área total, nos estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, o pior cenário dos últimos anos. A prática das queimadas como método de manejo de pastagens é um dos maiores inimigos do Pantanal, aliado ao período de seca.

O PSOL questiona sobre as ações do governo federal junto aos estados, o efetivo, estrutura e recursos utilizados e a proteção dos povos e comunidades residentes na região pantaneira.

“À frente do Ministério, Salles precisa esclarecer a finalidade explícita de fragilizar a ação do Estado brasileiro na proteção ao meio ambiente e as consequências desta política diante das recorrentes crises ambientais no Brasil nos últimos anos”, ressalta a bancada no requerimento.

O requerimento foi protocolado na última sexta-feira, 11/09.

Veja o requerimento.

Artigo originalmente publicado no site da deputada Sâmia Bomfim.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
“Enquanto os efeitos sanitários e econômicos da Covid-19 seguem fazendo-se sentir, escancarando a crise global do capitalismo, as lutas na América Latina começam a apresentar importantes conquistas no enfrentamento da extrema-direita continental. Na Bolívia, após meses de enfrentamentos e mobilização popular, a contundente vitória da chapa do MAS pôs fim ao governo ilegítimo e reacionário de Jeanine Áñez. No Chile, após as multitudinárias manifestações de 2019, o plebiscito levou a uma vitória esmagadora em favor de uma nova constituição elaborada por assembleia exclusiva. Na campanha eleitoral estadunidense em curso, está em jogo a possibilidade de derrotar o trumpismo, que anima movimentos neofascistas e racistas naquele país e em todo o mundo. Ao mesmo tempo, as eleições municipais brasileiras abrem a possibilidade de construir uma alternativa nas cidades que contribua para isolar e derrotar o bolsonarismo. A décima oitava edição da Revista Movimento debruça-se sobre esses processos de mobilização nas ruas e de enfrentamento eleitoral em curso”.