A anulação das condenações de Lula e a luta contra o bolsonarismo

Deputado David Miranda (PSOL-RJ) analisa a anulação das condenações de Lula, seus impactos na luta pelo “Fora, Bolsonaro” e seus efeitos para os debates na esquerda.

David Miranda 8 mar 2021, 17:51

A ação de Moro que impediu Lula de concorrer em 2018 foi ilegal e eminentemente política. O que ocorreu depois disso conhecemos bem. A anulação das condenações de Lula é uma reparação necessária, uma vitória democrática no atual estágio de enfrentamento a um presidente fascista e genocida.

Tal decisão reforça a necessidade de constituir a mais ampla unidade de ação contra Bolsonaro, lutar contra o bolsonarismo em todas as frentes e com todos os aliados reais possíveis. O #ForaBolsonaro segue como prioridade: derrubar o presidente antes de 2022 é uma tarefa de primeira ordem.

A reabilitação de Lula também reforça a necessidade de uma articulação de esquerda e centro-esquerda para derrotar o bolsonarismo em 2022. Tal unidade deve ser ampla e não fortalecer apenas um polo: não pode seguir a regra do hegemonismo e deve levar em conta as experiências feitas nos últimos anos.

O PSOL deve se inserir neste debate afirmando sua independência e apresentando um programa de emergência para o Brasil, cujo eixo não seja a conciliação de classes. Foi um “pacto” entre desiguais que pariu o que o Brasil tem de mais mórbido: o bolsonarismo. Não podemos simplesmente reeditar uma volta ao passado. Temos um grande debate pela frente.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima primeira edição da Revista Movimento, dedicada aos debates em curso do VII Congresso Nacional do PSOL. Nela encontram-se artigos de análise, polêmica e discussão programática para subsidiar os debates de nossos camaradas em todo o país e contribuir com a batalha pela pré-candidatura de nosso companheiro Glauber Braga à presidência da República pelo PSOL. A edição também conta com análises de importantes questões internacionais contemporâneas e de outros temas de interesse, como os desafios da luta pelo “Fora, Bolsonaro” e as crises hídrica e elétrica no Brasil. Num ano de 2021 ainda marcado pela tragédia da pandemia da Covid-19 e pelo descaso criminoso de governos em todo o mundo, lamentamos a perda de nosso grande camarada Tito Prado (1949-2021), militante internacionalista e dirigente de Nuevo Perú. A ele dedicamos esta edição de nossa revista e, em sua homenagem, publicamos artigos em sua memória. Boa leitura!