Uma polêmica clara e curta

Uma polêmica com Valério Arcary.

Roberto Robaina 30 abr 2021, 15:45

Valério Arcary, expressão pública da corrente Resistência, tem defendido a necessidade de um governo de esquerda com um programa de esquerda para o Brasil. Tenho total acordo com essa posição. No seu artigo para “Brasil de Fato”, ele elenca os pontos programáticos dessa frente. Também estou totalmente de acordo, ainda que de cara agregaria a estatização do sistema financeiro como ponto essencial.

A questão é que ele está propondo este programa também ao PT, e dizendo que Lula pode ser o candidato do PSOL no primeiro turno. Aqui, a lógica termina, simplesmente porque o PT já deixou claro que não concorda com esse programa. E Lula muito menos. É óbvio que todos apoiariam Lula no primeiro turno se ele assumisse tal programa. Mas isso simplesmente é falso. E sustentar algo falso gera apenas ilusões e/ou confusões. Lula já disse que quer retomar sua experiência de governo, que foi caracterizada por Valério como de um governo social-liberal ou de frente popular, jamais como um governo de esquerda ou anticapitalista. Lula já disse não à proposta de Valério há muitos anos. E já disse que não mudou de ideia. Por que Valério segue insistindo nisso? Será que ele acredita que Lula vai mudar de posição? Realmente seria algo ingênuo demais ou pretensioso demais. Não creio que sejam atributos de Valério. Caberia a Valério dizer se ele segue defendendo o apoio a Lula ou a um programa de esquerda.

Enfim, creio que seria útil a Resistência se unir com as forças do PSOL, que, diante de uma eleição em dois turnos, sabem que devem se comprometer desde já com o apoio ao candidato contra Bolsonaro no segundo turno e, ao mesmo tempo, em erguer a bandeira de uma candidatura própria para defender o programa de esquerda no primeiro turno.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima primeira edição da Revista Movimento, dedicada aos debates em curso do VII Congresso Nacional do PSOL. Nela encontram-se artigos de análise, polêmica e discussão programática para subsidiar os debates de nossos camaradas em todo o país e contribuir com a batalha pela pré-candidatura de nosso companheiro Glauber Braga à presidência da República pelo PSOL. A edição também conta com análises de importantes questões internacionais contemporâneas e de outros temas de interesse, como os desafios da luta pelo “Fora, Bolsonaro” e as crises hídrica e elétrica no Brasil. Num ano de 2021 ainda marcado pela tragédia da pandemia da Covid-19 e pelo descaso criminoso de governos em todo o mundo, lamentamos a perda de nosso grande camarada Tito Prado (1949-2021), militante internacionalista e dirigente de Nuevo Perú. A ele dedicamos esta edição de nossa revista e, em sua homenagem, publicamos artigos em sua memória. Boa leitura!