Projeto que descongela benefícios de servidores federais avança para CCJ
servidorespublicos-1024x630

Projeto que descongela benefícios de servidores federais avança para CCJ

Com colaboração de Sâmia Bomfim e Fernanda Melchionna, iniciativa visa reverter medida de Bolsonaro que penalizou funcionalismo durante a pandemia

Mandato Sâmia Bomfim 16 nov 2023, 11:00

Foto: CTB/Reprodução

A Comissão de Finanças e Tributação (CFT) aprovou, na semana passada, o Projeto de Lei Complementar (PLP) 143/2020, que permite estados, municípios e o Distrito Federal a pagarem retroativamente, anuênios, quinquênios e licenças-prêmio congelados de 28 de maio de 2020 e 31 de dezembro de 2021, período marcado pela pandemia de covid-19. Apensado à proposta está o PLP 40/2022, de autoria das deputadas Sâmia Bomfim (SP) e Fernanda Melchionna (RS), ambas do PSOL.

Em 2020, o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus vedou a contagem de tempo de trabalho dos servidores para fins de pagamento de diversos direitos adquiridos. O PLP, que já havia sido aprovado pela Comissão de Administração e Serviço Público (Casp) em agosto, revoga esse dispositivo.

Conforme a proposta, a concessão desses valores dependerá de lei autorizativa do ente e a disponibilidade orçamentária. O texto aprovado na CFT é o substitutivo do deputado Guilherme Boulos (PSOL-SP), que agora segue para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) antes de ser pautado pelo plenário da Casa.

Para Sâmia, a LC 173 foi uma das maiores crueldades do governo Bolsonaro, pois penalizou os servidores como se eles não tivessem prestado serviço durante o período de calamidade sanitária. 

“Um congelamento absurdo e injusto, pois durante a pandemia os servidores trabalharam ainda mais! Esses valores compõem a remuneração e fazem a diferença para milhares de famílias fecharem suas contas em um cenário de crise econômica e destruição das carreiras públicas”, comentou a parlamentar.

No início da atual legislatura, a deputada protocolou um pedido para que o PLP fosse votado em caráter de urgência.

‘Granada no bolso’

No início da pandemia, o Congresso aprovou um pacote de medidas de auxílio federal a estados e municípios, em razão da paralisação das atividades econômicas, perda de arrecadação e aumento da necessidade de investimentos públicos, sobretudo em saúde. Na época, o então governo Bolsonaro (PL) articulou junto a parlamentares a aprovação de uma emenda que previa o congelamento das contagens de tempo dos servidores, entre maio de 2020 e dezembro de 2021.

“Em comum acordo com os Poderes, nós chegamos à conclusão de que, congelando os proventos dos servidores, é bom para o servidor e de extrema importância para todos os 210 milhões de habitantes”, disse então presidente e hoje inelegível, Jair Bolsonaro.

Mas seu ministro “Posto Ipiranga” da Economia foi além. Em reunião cujo conteúdo foi vazado pelo ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, Paulo Guedes disparou: 

“Nós já botamos a granada no bolso do inimigo, dois anos sem aumento”.


TV Movimento

Palestina livre: A luta dos jovens nos EUA contra o sionismo e o genocídio

A mobilização dos estudantes nos Estados Unidos, com os acampamentos pró-Palestina em dezenas de universidades expôs ao mundo a força da luta contra o sionismo em seu principal apoiador a nível internacional. Para refletir sobre esse movimento, o Espaço Antifascista e a Fundação Lauro Campos e Marielle Franco realizam uma live na terça-feira, dia 14 de maio, a partir das 19h

Roberto Robaina entrevista Flávio Tavares sobre os 60 anos do golpe de 1º de abril

Entrevista de Roberto Robaina com o jornalista Flávio Tavares, preso e torturado pela ditadura militar brasileira, para a edição mensal da Revista Movimento

PL do UBER: regulamenta ou destrói os direitos trabalhistas?

DEBATE | O governo Lula apresentou uma proposta de regulamentação do trabalho de motorista de aplicativo que apresenta grandes retrocessos trabalhistas. Para aprofundar o debate, convidamos o Profº Ricardo Antunes, o Profº Souto Maior e as vereadoras do PSOL, Luana Alves e Mariana Conti
Editorial
Paula Kaufmann | 16 jun 2024

O outono feminista em defesa do aborto legal

A luta contra o retrocesso representado pelo PL do aborto coloca o movimento de mulheres novamente nas ruas
O outono feminista em defesa do aborto legal
Edição Mensal
Capa da última edição da Revista Movimento
Revista Movimento nº 51
Esta edição da Revista tem como centro temático um “Dossiê: Transviando o marxismo”, por ocasião ao mês do Mês do Orgulho LGBTQIA+. Ela começa com o texto Manifesto Marxista-Pajubá que se propõe a imprimir uma perspectiva marxista à luta de travestis e demais pessoas trans e às formulações respectivas à transgeneridade. Organizado pelo Núcleo Pajubá do MES, este manifesto oferece um espaço de reflexão, resistência e articulação política, onde vozes diversas e potentes se encontram para desafiar o status quo opressor e explorador e construir lutas de emancipação.
Ler mais

Podcast Em Movimento

Colunistas

Ver todos

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta edição da Revista tem como centro temático um “Dossiê: Transviando o marxismo”, por ocasião ao mês do Mês do Orgulho LGBTQIA+. Ela começa com o texto Manifesto Marxista-Pajubá que se propõe a imprimir uma perspectiva marxista à luta de travestis e demais pessoas trans e às formulações respectivas à transgeneridade. Organizado pelo Núcleo Pajubá do MES, este manifesto oferece um espaço de reflexão, resistência e articulação política, onde vozes diversas e potentes se encontram para desafiar o status quo opressor e explorador e construir lutas de emancipação.