Projeto que descongela benefícios de servidores federais avança para CCJ
servidorespublicos-1024x630

Projeto que descongela benefícios de servidores federais avança para CCJ

Com colaboração de Sâmia Bomfim e Fernanda Melchionna, iniciativa visa reverter medida de Bolsonaro que penalizou funcionalismo durante a pandemia

Mandato Sâmia Bomfim 16 nov 2023, 11:00

Foto: CTB/Reprodução

A Comissão de Finanças e Tributação (CFT) aprovou, na semana passada, o Projeto de Lei Complementar (PLP) 143/2020, que permite estados, municípios e o Distrito Federal a pagarem retroativamente, anuênios, quinquênios e licenças-prêmio congelados de 28 de maio de 2020 e 31 de dezembro de 2021, período marcado pela pandemia de covid-19. Apensado à proposta está o PLP 40/2022, de autoria das deputadas Sâmia Bomfim (SP) e Fernanda Melchionna (RS), ambas do PSOL.

Em 2020, o Programa Federativo de Enfrentamento ao Coronavírus vedou a contagem de tempo de trabalho dos servidores para fins de pagamento de diversos direitos adquiridos. O PLP, que já havia sido aprovado pela Comissão de Administração e Serviço Público (Casp) em agosto, revoga esse dispositivo.

Conforme a proposta, a concessão desses valores dependerá de lei autorizativa do ente e a disponibilidade orçamentária. O texto aprovado na CFT é o substitutivo do deputado Guilherme Boulos (PSOL-SP), que agora segue para análise da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) antes de ser pautado pelo plenário da Casa.

Para Sâmia, a LC 173 foi uma das maiores crueldades do governo Bolsonaro, pois penalizou os servidores como se eles não tivessem prestado serviço durante o período de calamidade sanitária. 

“Um congelamento absurdo e injusto, pois durante a pandemia os servidores trabalharam ainda mais! Esses valores compõem a remuneração e fazem a diferença para milhares de famílias fecharem suas contas em um cenário de crise econômica e destruição das carreiras públicas”, comentou a parlamentar.

No início da atual legislatura, a deputada protocolou um pedido para que o PLP fosse votado em caráter de urgência.

‘Granada no bolso’

No início da pandemia, o Congresso aprovou um pacote de medidas de auxílio federal a estados e municípios, em razão da paralisação das atividades econômicas, perda de arrecadação e aumento da necessidade de investimentos públicos, sobretudo em saúde. Na época, o então governo Bolsonaro (PL) articulou junto a parlamentares a aprovação de uma emenda que previa o congelamento das contagens de tempo dos servidores, entre maio de 2020 e dezembro de 2021.

“Em comum acordo com os Poderes, nós chegamos à conclusão de que, congelando os proventos dos servidores, é bom para o servidor e de extrema importância para todos os 210 milhões de habitantes”, disse então presidente e hoje inelegível, Jair Bolsonaro.

Mas seu ministro “Posto Ipiranga” da Economia foi além. Em reunião cujo conteúdo foi vazado pelo ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, Paulo Guedes disparou: 

“Nós já botamos a granada no bolso do inimigo, dois anos sem aumento”.


TV Movimento

Entenda a história da luta palestina por liberdade e soberania

A deputada Luciana Genro entrevista a professora Arlene Clemesha, doutora em História Árabe e docente da USP, sobre a luta palestina. Mais do que nunca, é urgente que possamos aprofundar o conhecimento sobre o tema para somarmos cada vez mais força em apoio a esta causa!

Palestina Livre do rio ao mar! Colonialismo, racismo e apartheid (parte 2)

Segunda aula do professor de sociologia Frederico Henriques, dirigente da TLS e do MES/PSOL, sobre colonização e racialização na Palestina

Antônia Cariongo denuncia a violência política no Maranhão

Companheira Antônia Cariongo, liderança quilombola e dirigente do MES/PSOL no Maranhão, denunciando a violência política contra militantes do movimento quilombola e da luta pela terra no estado. Todo apoio aos lutadores e lutadoras do Maranhão!
Editorial
Israel Dutra | 04 dez 2023

“Chernobyl brasileiro”: mais uma tragédia anunciada

O afundamento do solo foi promovido pela ganância da Braskem, com a anuência dos responsáveis políticos, devastou bairros e comunidades inteiras.
“Chernobyl brasileiro”: mais uma tragédia anunciada
Edição Mensal
Capa da última edição da Revista Movimento
Revista Movimento nº 44
Conheça a edição especial Marxismo Negro: História, Teoria e Política
Ler mais

Podcast Em Movimento

Colunistas

Ver todos

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Conheça a edição especial Marxismo Negro: História, Teoria e Política