Perseguição na educação catarinense: professora é afastada por ‘militância política’
bolsonaro-e-jorginho

Perseguição na educação catarinense: professora é afastada por ‘militância política’

A Secretaria da Educação de SC abriu um processo persecutório e afastou de seu trabalho a dirigente sindical e professora de filosofia Carolina Puerto

Márcio Vargas 20 jun 2024, 10:00

Foto: Divulgação

O governador Jorginho Mello (PL) empreende a cruzada bolsonarista perseguindo educadores em Santa Catarina. Na recente greve da educação estadual, demitiu arbitrariamente professores temporários (ACTs) para tentar desmobilizar o massivo contingente de adesões. Agora, realiza verdadeira batalha ideológica para demitir uma das principais lideranças do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Estadual (SINTE  Regional Floripa), a professora Carolina Puerto.

A notificação, realizada por meio do Diário Oficial do Estado na última segunda-feira (17), afastou a trabalhadora por 60 dias, com possibilidade de prorrogação, para processamento de Processo Administrativo Disciplinar (PAD). Os colegas de Carolina foram os primeiros a se manifestarem, em documento “Carta Aberta” na manhã de terça (18). No documento, ressaltam as excrescências da motivação do afastamento. 

Na manifestação dos docentes da Escola Simão José Hess, é relatada a visita pessoal da coordenadora Regional de Educação, que teria relatado o conteúdo da infração cometida pela professora: uma aula sobre fake news, gravada sem autorização. Ironicamente, o tema é componente curricular e consta do Currículo Base do Ensino Médio do Território Catarinense – Caderno 2, produzido pela Secretaria Estadual da Educação 

Enquanto senador, Jorginho esteve na vanguarda do retrocesso compondo a linha de frente na CPI da Covid, na qual defendeu o “tratamento precoce”. No governo, protagoniza a censura aos livros e teria usado papeis cenográficos para comprovar “multas aplicadas pela ANTT”. Em suma, o governador catarinense é dos mais proeminentes bolsonaristas, com ações fascistizantes.

O ataque à professora Carolina, articulado por meio de uma gravação em sala de aula, é expediente do bolsonarismo desde o ex-ministro Weintraub, e utilizado por outros espécimes, inclusive por Jair Bolsonaro – agravado por se tratar de uma liderança sindical com papel destacado na mobilização e na luta contra os retrocessos na educação. Por isso, é necessária a ampla solidariedade à Carolina, pelo fato de a medida atingir diretamente sua dignidade e a unidade de ação para enfrentarmos o neofascismo em mais um dos seus expedientes.

Pelo imediato retorno de Carolina à escola!


TV Movimento

Desenvolvimento Econômico e Preservação Ambiental: uma luta antineoliberal e anticapitalista

Assista à Aula 02 do curso do canal "Crítica Marxista", uma iniciativa de formação política da Fundação Lauro Campos e Marielle Franco, do PSOL, em parceria com a Revista Movimento. Acompanhe nosso site para conferir a programação completa do curso: https://flcmf.org.br.

Neofascismo e Negacionismo Climático: uma luta internacional

Curso de formação política sobre emergência climática e luta ecossocialista! Assista à Aula 01 do novo curso do canal "Crítica Marxista", uma iniciativa de formação política da Fundação Lauro Campos e Marielle Franco, do PSOL, em parceria com a Revista Movimento. Acompanhe o site da PLCMF para conferir a programação completa do curso: https://flcmf.org.br

Contra a extrema direita na França!

Oliver Besancenot, militante do Novo Partido Anticapitalista (NPA), fala sobre as tarefas da esquerda e os desafios da luta contra a extrema direita no país
Editorial
Israel Dutra e Roberto Robaina | 17 jul 2024

Se aproximam as eleições municipais: colocar o programa no centro da atividade política

As próximas eleições municipais brasileiras serão uma etapa importante da luta contra a extrema direita
Se aproximam as eleições municipais: colocar o programa no centro da atividade política
Edição Mensal
Capa da última edição da Revista Movimento
Revista Movimento nº 51
Esta edição da Revista tem como centro temático um “Dossiê: Transviando o marxismo”, por ocasião ao mês do Mês do Orgulho LGBTQIA+. Ela começa com o texto Manifesto Marxista-Pajubá que se propõe a imprimir uma perspectiva marxista à luta de travestis e demais pessoas trans e às formulações respectivas à transgeneridade. Organizado pelo Núcleo Pajubá do MES, este manifesto oferece um espaço de reflexão, resistência e articulação política, onde vozes diversas e potentes se encontram para desafiar o status quo opressor e explorador e construir lutas de emancipação.
Ler mais

Podcast Em Movimento

Colunistas

Ver todos

Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Ver todos

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta edição da Revista tem como centro temático um “Dossiê: Transviando o marxismo”, por ocasião ao mês do Mês do Orgulho LGBTQIA+. Ela começa com o texto Manifesto Marxista-Pajubá que se propõe a imprimir uma perspectiva marxista à luta de travestis e demais pessoas trans e às formulações respectivas à transgeneridade. Organizado pelo Núcleo Pajubá do MES, este manifesto oferece um espaço de reflexão, resistência e articulação política, onde vozes diversas e potentes se encontram para desafiar o status quo opressor e explorador e construir lutas de emancipação.