Nota do Diretório Municipal do PSOL Curitiba sobre o ato pedindo justiça por Moïse Kabamgabe em 05/02 – Não à cassação do mandato de Renato Freitas (PT)

Nota do Diretório Municipal do PSOL Curitiba sobre o ato pedindo justiça por Moïse Kabamgabe em 05/02 – Não à cassação do mandato de Renato Freitas (PT)

Não à cassação do mandato de Renato Freitas (PT).

O Partido Socialismo e Liberdade de Curitiba vem, por meio desta, repudiar as diversas mentiras espalhadas por setores conservadores da sociedade sobre o ato do último sábado em solidariedade à Moïse Kabamgabe, imigrante congolês assassinado no Rio de Janeiro no dia 24/01 deste ano, após cobrar seus direitos como trabalhador no quiosque Tropicália, na Barra da Tijuca.


Aos fatos: a manifestação se iniciou por volta das 18 horas de sábado (05/02), nas proximidades do Largo da Ordem. O ato teve sua concentração na frente da Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, devido à sua importância na história da população negra de Curitiba. Concomitantemente, estava ocorrendo uma missa na igreja. O padre que ministrava a missa e os fiéis expressaram desconforto com o barulho provocado pelo ato que ocorria na calçada. De dentro da igreja, gritos de repúdio passaram a ser proferidos aos manifestantes. Após o fim da celebração da missa, alguns dos manifestantes, incluindo o vereador Renato Freitas (PT), entraram na Igreja e fizeram palavras de ordem.


Podemos, sim, debater, de maneira fraterna, se adentrar na igreja foi a melhor decisão ou não. Mas não podemos de forma alguma compactuar com as mentiras proferidas pelos setores reacionários que comandam nossa cidade: o de que teria havido manifestações de intolerância religiosa, intromissão no culto e até mesmo vandalismo na Igreja. Essas inverdades têm sido espalhadas por vereadores e pelo próprio prefeito Rafael Greca, e propagadas pela mídia burguesa. Esses nunca se importaram com o genocídio da população negra, especialmente a de sua própria cidade, e tem usado o episódio para abafar sua responsabilidade nisso, ignorando qual era o verdadeiro motivo do ato.


Dito isso, queremos prestar nossa solidariedade ao vereador Renato Freitas e a todas as pessoas que têm sido atacadas por conta desse episódio. Reafirmamos o compromisso do PSOL com a luta antirracista, bem como com a liberdade religiosa e de culto.


A morte de Moïse não será esquecida.


Curitiba, 10 de fevereiro de 2022.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

   

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima quarta edição da Revista Movimento. Iniciando nossas publicações em 2022, preparamos uma edição com um dossiê de mulheres, organizado pelas mulheres do Movimento Esquerda Socialista (MES).