Mike Pompeo: sua presença é um ataque à América Latina
Foto: Resistir Produções Roraima

Mike Pompeo: sua presença é um ataque à América Latina

Não aceitamos intervencionistas estrangeiros no Brasil e em Roraima!

Kezia Lima 18 set 2020, 22:25

A manifestação convocada hoje pela TLS, MES e MST em Roraima, teve a presença do Juntos, Setorial de Mulheres do PSOL-RR Marielle Franco e Levante Popular da Juventude para questionar o significado da presença de Mike Pompeo em território brasileiro. Como Secretário de Estado dos EUA, representa o que tem de mais desumano e nefasto na política do Trump. Os embargos econômicos impostos pelos EUA à Venezuela foram fundamentais para o acirramento das crises e promoção da imigração venezuelana que vem acontecendo desde 2017.

Foto: Resistir Produções Roraima

A agenda que Mike Pompeo veio cumprir em Roraima envolve justamente uma pauta sobre a situação da Venezuela. Não podemos aceitar e nem ser ponta de lança de uma intervenção imperialista. A América Latina precisa estar organizada através da luta dos trabalhadores contra o massacre que seus povos vêm sofrendo em nome de um neoliberalismo que coloca a população pobre cada vez mais na miséria.

Pompeo representa o que há de pior na política dos EUA. Ele mesmo disse na Universidade do Texas A&M em 2019, quando era diretor da CIA que “mentimos, enganamos e roubamos” e que essa é a glória do experimento americano. O Brasil não pode ser cúmplice do que Pompeo enxerga como glorioso.

Foto: Resistir Produções Roraima

É absurdo ver o Brasil abrir as portas para um cidadão como este. O Presidente Bolsonaro reivindica tanto um nacionalismo, patriotismo e, contraditoriamente, permite que intervencionistas estrangeiros operem através do país. É o mesmo falso nacionalismo que concedeu tarifa zero para importação do etanol dos EUA, em detrimento da produção brasileira de etanol que estava com estoque.

Foto: Resistir Produções Roraima

A manifestação foi marcada por forte intimidação militar, com carros subindo e descendo o meio-fio próximo aos militantes presentes e, até mesmo, colocando o carro inteiramente sobre a calçada e com permanência de militares próximos aos pertences dos manifestantes. Gritos de ordem, notas à imprensa, produção de cartazes e conversas com os transeuntes marcaram a organização do ato. O recado foi dado com uma oposição de esquerda organizada, marcando bem o terreno de que não há unanimidade na receptividade de intervencionistas estrangeiros no Brasil e, especificamente, em Roraima.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

Capa da última edição da Revista Movimento
Publicamos a décima sétima edição da Revista Movimento ainda sob o impacto da pandemia da Covid-19. Em todo o mundo, as contradições acumulam-se. Este volume está dedicado à análise de várias dimensões desta verdadeira crise global e de seus desdobramentos. Com destaque, tratamos da mobilização antirracista nos Estados Unidos e no mundo, iniciada após o assassinato de George Floyd, e da situação brasileira, discutindo a crise do governo Bolsonaro e as recentes manifestações dos trabalhadores por aplicativos.