Basta de violência no Pontal do Paranapanema! É urgente parar e investigar as ameaças às famílias em luta por terra e moradia
FNL

Basta de violência no Pontal do Paranapanema! É urgente parar e investigar as ameaças às famílias em luta por terra e moradia

Nota da FNL denunciando a violência política no Pontal do Paranapanema.

A Frente Nacional de Luta Campo e Cidade iniciou em junho de 2021 uma série de ocupações na região do Pontal do Paranapanema, historicamente reconhecida pela disputa política e jurídica do território que abrange áreas ociosas e fazendas. Além da dificuldade de destravar a distribuição das terras públicas para as famílias que constroem acampamentos, a prática da grilagem também é um problema histórico na região.

Em novembro, a FNL realizou a maior marcha campesina pela reforma agrária dos últimos anos no Brasil, com mais de mil marchantes percorrendo as rodovias de Sorocaba até a capital São Paulo. Com a intensificação da mobilização no
oeste paulista, as ameaças de grileiros também cresceram. Em fevereiro deste ano construímos o Carnaval Vermelho em diversas cidades do país, com novos acampamentos em terras já reconhecidas como públicas. No Pontal, a reação veio através da intimidação com o uso de armas de fogo. Em março denunciamos a presença de jagunços e o disparo de tiros perto de um de nossos acampamentos para a deputada estadual Mônica Seixas (PSOL). Os acampamentos próximos à Brasília também foi ameaçado por grileiros.

Não aceitaremos nenhuma tentativa de intimidação às famílias que resistem pelo direito de morar, plantar e viver. Exigimos a investigação policial sobre os fatos, e a proteção devida a todos os acampamentos ameaçados.

18 de março de 2022.
Coordenação Nacional da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade.


Parlamentares do Movimento Esquerda Socialista (PSOL)

   

Podcast Em Movimento

Capa da última edição da Revista Movimento
Esta é a vigésima quarta edição da Revista Movimento. Iniciando nossas publicações em 2022, preparamos uma edição com um dossiê de mulheres, organizado pelas mulheres do Movimento Esquerda Socialista (MES).